O nosso modelo de financiamento

A independência financeira e política da Movemos a Europa é a luz que nos guia. Não permitimos que a busca da estabilidade financeira se interponha no caminho da nossa independência. Não aceitaremos financiamento de empresas, governos ou instituições estatais para garantir que possamos continuar a dirigir campanhas sobre questões relacionadas com empresas e permanecer politicamente independentes. Trabalhamos com doadores que não impõem condições políticas que restrinjam a nossa missão ou limitem a nossa independência. O nosso financiamento provém actualmente de membros individuais em toda a Europa que apoiam o nosso trabalho (80%), fundações progressivas (15%), e parceiros (5%).

Queremos ser transparentes e responsáveis no que diz respeito às nossas fontes de financiamento e à forma como gastamos os seus donativos. É esse o propósito da informação que se segue. Para qualquer questão ou comentário sobre a forma como apresentamos esta informação, poderá entrar em contacto connosco através de donation@wemove.eu.

Receitas 2019

Quais são as fontes de financiamento da Movemos a Europa?

Como já foi dito, as fontes de financiamento da Movemos a Europa apresentaram a seguinte repartição: membros em toda a Europa (80%), fundações progressistas (15%) e parceiros (5%). Apresentamos em baixo uma desagregação mais detalhada das nossas receitas em 2019.

O grosso do nosso orçamento é constituído por pequenos contributos de milhares de pessoas espalhadas por todo o continente europeu, muitas das quais nos enviam mensalmente o seu donativo. Um movimento popular também tem esta característica: cada um de nós contribui de acordo com as suas possibilidades. O donativo médio ronda os 16 €, mas o valor individual é variável, e cada donativo, seja de 1 € ou 500 €, é importante para conseguirmos cumprir a nossa missão.

A Movemos a Europa foi fundada em setembro de 2015, graças à generosa ajuda financeira da Campact.de, a nossa organização irmã na Alemanha, à qual ficaremos eternamente gratos por nos terem ajudado a iniciar a nossa atividade e por nos terem proporcionado a estabilidade necessária para avançarmos pelo nosso pé.

Desde os nossos primórdios, em 2015, temos recebido financiamento das seguintes fundações progressistas: European Climate Foundation, Charles-Leopold-Mayer Foundation, Open Society Foundation for Europe e um vários indivíduos particulares.

Despesas 2019

Como é que a Movemos a Europa gasta o meu dinheiro?

A Movemos a Europa é uma organização ágil. Trabalhamos em todo o continente europeu, atualmente em 6 idiomas diferentes, e tencionamos continuar a expandir-nos. O nosso principal objetivo é realizar campanhas que conduzam a uma transformação real e profunda na Europa, que dê prioridade às pessoas e ao planeta. A nossa equipa é reduzida: 26 colaboradores (12 dos quais a tempo parcial). Os destinatários das nossas campanhas são de vulto, desde grandes empresas a governos.

No gráfico pode ver como a Movemos a Europa gastou os fundos durante o último exercício financeiro.

Fique a conhecer as nossas ações e a forma como realizamos campanhas em toda a Europa para ter uma melhor perspetiva do que a Movemos a Europa representa:

Os donativos mensais regulares dos nossos membros destinam-se ao financiamento de atividades de campanha, custos de campanha, materiais de campanha, dias de ação e outro apoio necessário para aumentar o impacto das nossas campanhas. O esforço necessário para traduzir e publicar o conteúdo produzido em 6 idiomas é enorme. Levamos muito a sério a questão da privacidade e da segurança dos dados. Utilizamos ativamente programas, ferramentas e servidores sediados na Europa, os quais estão sujeitos a rigorosas normas de privacidade. As ferramentas acessíveis e prontas a utilizar estão sediadas sobretudo nos EUA, cuja legislação não é compatível com os nossos padrões de privacidade. As nossas plataformas e equipa de tecnologia trabalham arduamente para elaborar e personalizar ferramentas que garantam o sucesso das nossas campanhas, protegendo simultaneamente a nossa segurança e privacidade on-line. Saiba mais sobre a nossa Política de Privacidade.

Se angariarmos fundos para uma ação específica, mas o dinheiro arrecadado não for suficiente, entraremos em contacto consigo para explicar a situação e expor a forma como prevemos levar a ação adiante. Seja como for, terá sempre a oportunidade de pedir o reembolso do donativo efetuado.

Caso o seu donativo se destine a uma campanha específica, o mesmo será utilizado nessa campanha, o que inclui o pagamento de despesas específicas, como entregas aos decisores, investigação, tradução, deslocações e viagens, infraestrutura de tecnologias de informação. Caso o seu donativo de destine a uma tática de campanha específica, como a publicação de um anúncio num jornal ou a organização de um protesto local, o seu dinheiro servirá para financiar essa ação. Qualquer donativo que ultrapasse o valor necessário para uma tática específica será canalizado para as nossas campanhas em geral.

Irão manter-me informado sobre o destino dado ao meu donativo?

Independentemente do facto de o donativo se destinar a uma campanha ou a uma tática de campanha específicas, ou de se tratar de um donativo periódico, informaremos os nossos doadores do destino dado aos seus donativos. Na maioria dos casos, a referida informação será incluída nos nossos e-mails. No entanto, sempre que tiver alguma dúvida, poderá enviar-nos um e-mail para donation@wemove.eu.

O que acontece quando a Movemos a Europa consegue angariar um valor superior ao que é necessário para determinada campanha?

A Movemos a Europa muito raramente se viu confrontada com uma situação como esta. Se, ao angariar fundos para uma tática relacionada com uma campanha específica (por exemplo, um anúncio num jornal), conseguirmos angariar mais dinheiro do que o necessário, o excedente será utilizado noutra tática dessa campanha. Importa referir igualmente que os donativos angariados não determinam o número de colaboradores afetos a uma campanha.

O que acontece quando a Movemos a Europa angaria fundos para outras organizações e movimentos?

A Movemos a Europa trabalha com uma vasta rede de movimentos e parceiros em todo o continente europeu. Normalmente, há dois cenários diferentes em que angariamos fundos que envolvam outras organizações.

O primeiro é quando decorre uma ação na qual colaboramos ou prestamos o nosso contributo com parceiros. Poderá ser a compra de outdoors em Bruxelas, a organização de sondagens à escala europeia sobre uma questão em que trabalhamos, a contribuição para uma marcha climática numa determinada cidade, a contribuição para as custas de uma ação judicial conjunta que estejamos a levar a cabo com parceiros, etc. Nestes casos, acordamos previamente qual poderá ser o valor do contributo da Movemos a Europa para a ação específica. Em seguida, dirigimo-nos à comunidade. Caso o valor angariado seja superior ao necessário para a ação, o excedente será canalizado para outras ações, para ajudar a garantir o sucesso dessa campanha (por ventura, em vez de publicar um anúncio num jornal, poderemos publicar dois, ou em vez de efetuar "apenas" um inquérito, o dinheiro poderá destinar-se à contratação de especialistas de comunicação que nos ajudem a distribuir os resultados em todo o continente europeu, etc.). Caso não seja possível angariarmos fundos suficientes, não deixaremos de contribuir para a ação, retirando dinheiro do orçamento afeto a essa campanha.

A segunda abordagem é quando há momentos concretos em que acreditamos que o impacto mais valioso que a Movemos a Europa poderá ter é através da angariação direta de fundos para organizações ou movimentos. No inverno passado, os refugiados encurralados na Grécia e na Sérvia enfrentaram temperaturas negativas, desprovidos de teto, roupa e alimentos. A comunidade da Movemos a Europa angariou 70.000 euros para apoiar as organizações que ajudam estas pessoas a sobreviver ao inverno nestes países. Esperamos organizar muito mais iniciativas deste género no futuro!

Após estas duas experiências incríveis, apercebemo-nos de que os custos administrativos (despesas bancárias, taxas dos cartões de crédito, etc.) necessários para fazer chegar todos os donativos recolhidos às organizações representavam 5% do valor total, importância essa que foi custeada pela Movemos a Europa. Por este motivo, decidimos que, em futuras ações de angariação de fundos para outras organizações e movimentos, 95% desses donativos serão destinados diretamente às mesmas, destinando-se os restantes 5% a fazer face aos custos administrativos.

Abaixo pode encontrar outras respostas às perguntas mais frequentes sobre as doações!

Garantimos-lhe que a Movemos a Europa age em conformidade com os padrões mais exigentes em matéria de proteção e segurança de dados.

Utilizamos tecnologia de 128 bit SSL, para tornar seguros os seus donativos, tal como fazem os bancos. Isto significa que todos os dados são criptografados, e mais ninguém conseguirá lê-los. Estas medidas de segurança aplicam-se não só aos donativos, mas também quando alguém adere a uma campanha ou participa num inquérito.

No caso dos donativos feitos por meio de cartão de crédito, utilizamos Stripe, um fornecedor comum de transações bancárias eletrónicas que processa os seus donativos de forma segura. Utilizamos CiviCRM para processar e gerir os donativos feitos por meio de débito em conta. Também oferecemos a possibilidade de pagamento através de PayPal, mas importa salientar que deixamos de ter controlo direto sobre a transação a partir do momento em que o utilizador é redirecionado para o site da empresa. 

Caso deseje fazer um donativo, deverá ter interesse em saber que as taxas de domiciliação bancária ou de transferência bancária para a nossa conta são bastante mais baixas do que as que se aplicam ao pagamento com cartão de crédito ou com PayPal.

Poderá cancelar o seu donativo periódico em qualquer altura. Para o efeito, basta enviar-nos um e-mail para donation@wemove.eu. No prazo de alguns dias úteis, procederemos ao cancelamento do mesmo.

Se cometer algum erro ao fazer um donativo pontual ou periódico, envie-nos um email para donation@wemove.eu num prazo de 3 meses a partir da data em que fez o donativo, e reembolsar-lhe-emos a totalidade do valor. Responderemos ao seu e-mail no prazo de alguns dias úteis.

Caso se trate de donativos periódicos, a nossa equipa poderá alterar tanto os dados relativos ao donativo como o valor do mesmo. Caso se trate de um donativo pontual e deseje fazer alguma alteração deste tipo, deverá enviar-nos um e-mail para donation@wemove.eu num prazo de 3 dias a partir da data em que foi feito o donativo.

No que diz respeito a reembolsos e cancelamentos, queira consultar o ponto anterior.

A Movemos a Europa está matriculada como WeMove Europe SCE mbH na Alemanha, no tribunal do distrito de Charlottenburg, com o número GnR 777-B. A sede fica situada em Planufer, 91, 10967 Berlim, Alemanha.

SCE é a abreviatura de Sociedade Cooperativa Europeia, o que significa que a Movemos a Europa é uma cooperativa europeia registada. Esta forma jurídica tem como objetivo facilitar as atividades transnacionais das cooperativas e é necessária para trabalhar em conjunto com os cidadãos de mais de um país da UE. A referida entidade jurídica é reconhecida a nível europeu.

A razão pela qual a WeMove SCE está matriculada na Alemanha tem a ver com o facto de ser necessário dispor de uma sede física num país da UE e de o processo mais simples ser o que está em vigor naquele país. Apesar disso, trata-se de uma organização verdadeiramente europeia, tal como o trabalho que realizamos.

Poderá obter mais informações sobre as sociedades cooperativas europeias em:  https://ec.europa.eu/growth/sectors/social-economy/cooperatives/european...

A Movemos a Europa (WeMove SCE mbH) é auditada pelo “Prüfungsverband deutscher Konsum- und Dienstleistungsgenossenschaften”.

A responsabilidade financeira da Movemos a Europa (WeMove SCE mbH) compete ao Diretor Executivo e ao Conselho Diretivo. O Diretor Executivo interino é Laura Sullivan, e o Conselho Diretivo é constituído por Blanche Londres (Reino Unido), Dr. Alberto Alemanno (Itália), Christoph Bautz (Alemanha), Magda Stoczkiewicz (Bélgica), Sonia Reines-Djivanides (Bélgica) e Gaëtan Vanloqueren (Bélgica).

Como não solicitámos o estatuto de instituição de beneficência para a WeMove SCE, não podemos emitir nenhum tipo de recibo pelos donativos recebidos. Deste modo, conseguimos reduzir os custos administrativos e garantir a nossa independência política. Na Alemanha, e sobretudo em muitos outros países da UE, a legislação das instituições de beneficência limita o trabalho de movimentos cívicos como o nosso, que muitas vezes podem tornar-se politicamente incómodos.

O vencimento dos colaboradores da Movemos a Europa depende de vários critérios, como a experiência profissional, as funções exercidas na organização e o custo de vida no país de residência. Temos como objetivo maximizar o impacto do nosso trabalho, sem que isso impeça a nossa equipa de receber um salário condigno. A nossa estrutura salarial pretende encontrar um equilíbrio entre os dois critérios. Também temos em conta os vencimentos oferecidos por outras ONGS.